Plutônio e Assa Matusse no festival back2black no rio de Janeiro

O luso-moçambicano  Plutónio e  a moçambicana Selma Uamusse são alguns dos convidados ao Festival Back2Black, a realizar-se no dia 23 de Novembro, na cidade de Rio de Janeiro, no Brasil.

Com 10 anos de existência, o Back2Black, ou simplesmente festival de cultura negra, reúne pensadores de diferentes nacionalidades para debater questões de relevância internacional, com espetáculos de música, dança e artes visuais ligados ao mundo negro. A partir de encontros entre artistas de diferentes países, o Back2Black busca incentivar o intercâmbio entre as culturas destacando a influência negra, presente nas manifestações culturais e sociais desde a formação do Brasil.

Através de um espectáculo, os organizadores do Back2Black vão nesta edição comemorar o percurso trilhado e as metas alcançadas nesta primeira década do festival. Por isso, Selma Uamusse foi convidada a integrar o elenco de músicos que, no dia 23 de Novembro, vai subir ao palco do Armazém da Utopia (Cais do Porto, Rio de Janeiro) a fim de partilhar com o público o melhor da sua musicalidade.

a cantora moçambicana residente em Portugal regressa ao Brasil com imensa alegria. E explica, numa publicação feita no seu Instagram, a razão da sua satisfação: “Vamos fazer parte da comemoração dos 10 anos do icónico Festival Back2Black, vamos fazer parceria com a enorme Luedji Luna, com quem já colaboramos no ano passado”.

Luedji Luna é uma cantora e compositora brasileira. Com Selma Uamusse, a baiana subirá o palco da edição comemorativa dos 10 anos do Festival Back2Black para, de acordo com a organização, juntas encherem o local com um som enérgico, autêntico e repleto de africanidade, afinal um dos objectivos do festival é mesmo esse: conectar os espectadores com a África como berço da civilização, bem como celebrar a riqueza e diversidade da música e arte negra no mundo. “Exaltamos a importância dos ícones da cultura negra no Brasil e no exterior”. Sublinham.

Além de Selma Uamusse, autora do álbum Mati, e Luedji Luna, passarão pelo Festival Back2Black vários outros autores. São os casos do luso-moçambicano Plutónio, rapper que iniciou o percurso musical em 2000. Plutónio nasceu no bairro da Cruz Vermelha, em Cascais (Portugal) e é autor dos álbuns Histórias da minha life (2013) e Preto & vermelho (2016).

Outra autora convidada ao Festival Back2Black é a norte-americana Erykah Badu, que se iniciou no mundo das artes aos quatro anos de idade. Badu é cantora, compositora, produtora, actriz, activista e autora de álbuns como Worldwide underground (2003), New Amerykah, pt. 1 (4th world war) (2008) e But you caint use my phone (2015). De acordo com a organização: “Erykah Badu vai apresentar um show empoderado junto a uma competente banda, desfilando todos os seus sucessos, estilos e modas. A tecnologia estará presente com uma super iluminação (usando recursos de laser) e um telão com imagens incríveis, condizentes com seu bom gosto e poder”.

Contudo, engana-se quem julgar que Selma Uamusse e Plutónio são os primeiros filhos da pátria amada a participarem no Back2Black, festival cujos debates e conferências têm curadoria de José Eduardo Agualusa. Nos anos passados, Mingas, Wazimbo, Moreira Chonguiça também estiveram presentes.

Texto:VIVA e O País

JOIN THE DISCUSSION

one × four =