UNGULANI EM DESTAQUE NO FESTIVAL LITERÁRIO DE Quénia

O escritor moçambicano Ungulani Ba ka Khosa, Ondjaki e Abubakar Adam Ibrahim, de Angola e Nigéria, respectivamente, são os três dos principais nomes do programa da primeira edição do Macondo Literary Festival – Quénia, que vai decorrer na cidade de Nairobi entre 27 e 29 de Setembro, anunciou a organização.

Macondo Literary Festival é um festival literário que reunirá, pela primeira vez no continente, escritores da África de língua portuguesa e inglesa, para conversas, debates, leituras de histórias africanas apresentadas em suas obras de ficção e não-ficção e vai convergir no Kenya Cultural Centre, mais de 12 figuras entre escritores, editores, tradutores e cineastas oriundos de Cabo Verde, Zimbábue, África do Sul, Guiné-Bissau, Brasil, Quénia, Portugal e Reino Unido.

Ungulani proferirá uma palestra sobre a sua obra, como de um painel de debate sobre o “Perigo da História Única”, num certame onde figurarão outras grandes personalidades da literatura universal, caso de Jethro Soutar que é um tradutor inglês de espanhol/português e editor da Dedalus África, uma editora, com foco particular na literatura africana, que está comprometido em disponibilizar obras de autores africanos não traduzidos para um público mais amplo de amantes de livros na Europa e África figura entre os convidados de maior destaque.

De Cabo Verde está confirmada a presença da romancista Dina Salústio autora The Madwoman of Serrano (Dedalus Africa), o primeiro livro de uma mulher de Cabo Verde a ser publicado em inglês. Da Guiné-Bissau  Macondo Literary Festival recebe a escritora e editora assistente da Dedalus Books e 1/3 do podcast “Not Another Book Book”, ambas do Reino Unido.

Para além de Jonny Steinberg, escritor sul-africano, autor da obra “A Man of Good Hope ” e professor de estudos africanos na Universidade de Oxford, dos Quenianos Yvonne Adhiambo Owuor e Peter Kimani e da premiada escritora zimbabweana Novuyo Rosa Tshuma, autora do romance House of Stone (2018) e da colecção de contos Shadows (2013). Seu romance ganhou o Edward Stanford Travel Writing Award de Ficção com um Sense of Place e o Bulawayo Arts Award de Outstanding Fiction, foi finalista do Prêmio Orwell de Ficção Política e do Prêmio Dylan Thomas e finalista do Rathbones Folio Prize – tudo em Somente em 2019.

O realizador português João Viano, cujos filmes foram premiados ou seleccionados nos festivais de Berlim, Veneza e Cannes marca presença ao lado brasileiro Geovani Martins.

JOIN THE DISCUSSION

four + 16 =