Assembleia Geral que vai eleger sucessor de Sancho Quissipo na presidência do Ferroviário agendada para próximo sábado

É oficial: A Assembleia Geral, que vai eleger os novos corpos directivos do Ferroviário de Maputo, está agendada para o dia 09 do corrente mês de Maio, ou seja, no próximo sábado, na sede do clube locomotiva.

Na tão aguardada Assembleia Geral, primeiro serão analisados os relatórios de contas referentes a época passada e seguidamente será conhecido o sucessor de Sancho Quissipo Júnior na presidência do clube com mais campeonatos na história do futebol moçambicano.

Os candidatos a presidência do clube locomotiva ainda não fora tornados públicos, todavia, tudo indica que, apesar da contestação que tem sido alvos nas últimas épocas, Quissipo Júnior pode vir a correr para mais um mandato. No entanto, o nome do actual presidente não reúne consenso no seio dos sócios e simpatizantes e é desejo dos mesmos ver a gestão de clubes a mudar de mãos.

Recentemente, a direcção do Ferroviário foi severamente criticado pelos adeptos que, diga-se, denunciaram um alegado esquema para demitir o treinador para que isso servisse de trunfo nas próximas eleições. O esquema em alusão passava por um investimento para a equipa perder frente a sua homónima da Beira para isso servir de pretexto para demitir Daúde Razaque, aposta Quissipo Júnior para dirigir a locomotiva na época em curso.

Ora, a direcção, na voz de Quissipo Júnior, refutou as acusações dos adeptos, declarando que tinha plena confiança no timoneiro independentemente do desfecho do jogo com o Ferroviário da Beira.

Por outro lado, pesa sobre a actual gestão uma divida com a equipa de basquetebol masculino relativo ao prémio pela conquista do Campeonato Nacional de Basquetebol, prova realizada na época, falta de equipamentos para estagio e equipamentos de jogos, uma vez que aquele que está a ser usado no presente é do ano passado.

Sancho Quissipo Júnior assumiu a presidência do Ferroviário de Maputo em 2015, substituindo Francisco Bié, tendo no mesmo ano se sagrado campeão nacional de futebol e basquetebol em ambos os sexos.

O futebol depois da conquista no ano de estreia da direcção que cessa as funções no próximo sábado não conseguiu ganhar outro troféu e os adeptos apontam o dedo a gestão do clube que não tem feito boas escolhas no que toca a treinadores e jogadores nas últimas épocas.

De referir que os últimos quatro presidentes do Ferroviário de Maputo cumpriram apenas um mandato e seguindo essa logica tudo indica que não será Sancho Quissipo a presidir a equipa nos próximos cinco anos.

JOIN THE DISCUSSION

9 − five =