Principais sintomas de DST na mulher

As doenças sexualmente transmissíveis (DST), também chamadas de infecções sexualmente transmissíveis (IST), são doenças causadas por microorganismos transmitidos durante o contacto íntimo, por isso devem ser evitadas com o uso de preservativos. Estas infecções causam sintomas muito incômodos na mulher, como ardência, corrimento vaginal, mau cheiro ou surgimento de feridas na região íntima, escreve o portal tua saúde.

Ao observar qualquer um destes sintomas, a mulher deve ir ao médico ginecologista para uma minuciosa observação clínica, que podem indicar a presença de infecções como Tricomoníase, Clamídia ou Gonorréia, por exemplo, ou solicitar exames. Após o contato desprotegido, a infecção pode levar algum tempo para se manifestar, que pode ser por volta de 5 a 30 dias, o que varia de acordo com cada microorganismo.

Após identificar o agente causador, o médico irá confirmar o diagnóstico e orientar sobre o tratamento, que poderá ser feito com antibióticos ou antifúngicos, dependendo da doença em questão. Além disso, é importante saber que, por vezes, alguns sintomas acima citados não estão diretamente relacionados à DST, podendo ser uma infecção causada pela alteração da flora vagina, como é o caso da candidíase, por exemplo.

Alguns dos principais sintomas que podem surgir na mulher com DST são:

  • Ardência ou coceira na vagina
  • Corrimento vaginal
  • Dor durante o contacto íntimo
  • Mau cheiro
  • Feridas no órgão genital
  • Dor de baixo ventre

Outros tipos de sintomas

É importante lembrar que existem outras DSTs, como a infecção pelo HIV, que não causam sintomas genitais, podendo cursar com sintomas variados, como febre, mal estar e dor de cabeça, ou a hepatite, que causa febre, mal-estar, cansaço, dor abdominal, dor nas articulações e erupções na pele.

Como estas doenças podem piorar de forma silenciosa, até atingir quadros graves e que colocam em risco a vida da pessoa, é importante que a mulher faça periodicamente exames de rastreio deste tipo de infecção, conversando-se como ginecologista.

Deve-se lembrar que a principal forma de se evitar estar doenças é como uso do preservativo, e que outros métodos contraceptivos não protegem contra essas infecções. Além da camisinha masculina, existe a feminina, que também confere uma boa proteção contra DSTs.

Como tratar

Na presença de sintomas que indiquem uma DST, é muito importante ir ao atendimento com o ginecologista, para confirmar se é uma infecção, após exame clínico ou realização de exames, e indicar o tratamento adequado.

Apesar da maioria das DSTs poder ser curável, com o tratamento envolve uso de medicamentos como antibióticos, antifúngicos e antivirais, em pomadas, comprimidos ou injeções, de acordo com o tipo e o microorganismo causador da infecção, em alguns casos, como HIV, hepatite e HPV, a cura nem sempre é possível.

Além disso, em muitos casos, o parceiro também precisa fazer o tratamento, para evitar reinfecções.

 

 

JOIN THE DISCUSSION

eight − two =