Jornalista angolana Luísa dos Santos apresenta em Maputo o livro “Juventude de Hoje, porquê age assim?!”

Juventude de hoje… porque age assim?! é o título do primeiro livro da jornalista e coach profissional angolana, Luísa dos Santos, a ser lançado no dia 17 de Janeiro, pelas 18 horas, na sede da Associação dos Escritores Moçambicanos (AEMO), e contará com as apresentações da poetisa e activista Enia Lipanga, do escritor Hosten Yassine e da empreendedora e activista Maria Natália João.

A autora revela, nesta obra, pensamentos e preocupações pessoais que chamam a atenção para a degradação da pessoa humana, alertando, muito especialmente, os jovens para os males contemporâneos. Neste livro, encontra-se experiências reais, pensamentos e máximas sobre como melhorar os comportamentos dos jovens com vista a alcançar o sucesso. Trata-se de um projecto de vida que visa apoiar vítimas de álcool, narcóticos e prostituição, reintegrando-as na sociedade. Para tal, Luísa dos Santos tenciona angariar fundos com a venda deste livro de reflexão, que tem por base a ponderação e a meditação profunda sobre a actualidade.

O referido livro já foi lançado em Portugal, Brasil e Angola, agora será apresentado em Moçambique, juntamente com o projecto social intitulado A Juventude e o Consumo Excessivo de Bebidas Alcoólicas Porquê?

De referir que o livro conta com o prefácio do escritor português Porfírio Pereira da Silva e posfácio do escritor moçambicano Hosten Yassine.

A autora do livro “Juventude de hoje… por que age assim?!”,em entrevista a Revista Ngoma, considerou que o consumo excessivo de bebidas alcoólicas é um dos grandes flagelos actuais da sociedade angolana, em particular da juventude.

“Mais do que falar, eu decidi fazer, uma vez que estou associada a um projecto social denominado Juventude e Consumo Excessivo de Bebidas Alcoólicas, do qual sou fundadora. Entre os vários flagelos que têm assolado a sociedade angolana, detectámos que o consumo excessivo de bebidas alcoólicas é um dos principais, e que afecta não só os jovens, mas também a sociedade em geral”, afirmou.

De acordo com a autora, as ideias do livro surgiram de tudo quanto tem visto na sociedade, sendo que a função não é apenas fazer críticas, mas também apontar para algumas soluções para aquilo que observa.

As investigações feitas para livro, segundo Luísa dos Santos, indicam que a falta de emprego acaba por tornar-se num dos motes principais para o alcoolismo e o uso de outros estupefacientes.

“Inspirei-me em algumas histórias verídicas e em pessoas que acabaram por tomar um caminho não tão recto na vida” e “espelho estas histórias para chamar a atenção da sociedade, de modo que também resolva algumas questões transversais tanto no sector social quanto no sector económico”, defendeu.

A também empreendedora, desde os seus 19 anos de idade, acredita que para que uma ideia escrita se transforme em prática, é preciso identificar aquilo que se quer fazer, ter foco e viabilizá-la, porque nem todo plano necessita de dinheiro para pôr-se em prática. “No âmbito do empreendedorismo, nós devemos persistir e não desistir”, finalizou.

 

JOIN THE DISCUSSION

15 − three =